Lamentar resolve problemas?


É muito comum entre nós observar, lamentar e criticar o mal que se alastra em nossa sociedade e em nada contribuir para que a situação se reverta. Já dizia um filósofo inglês do século XVIII: “Para o triunfo do mal, basta que os bons não façam nada!”.

Dentre os dons com que o Criador nos presenteou, existe um de fundamental importância que nos torna responsáveis por nossas palavras e, principalmente, por nossas atitudes: a liberdade. Através da liberdade de opção e escolha nos tornamos merecedores de prêmio e de castigo pelos nossos atos e omissões. Não adianta nos refugiar e fugir da responsabilidade, procurando “culpados” e nos justificando como “inocentes”. A verdade, assim como a falsidade, mais cedo ou mais tarde virá à tona, colocando tudo em seu devido lugar.

Adianta lamentar a situação em que vive nossa sociedade materialista, hedonista, consumista, sem valorizar os princípios tradicionais humano-cristãos?

Estamos vivendo, infelizmente, na era do descartável, do simplificado, do mais fácil, do menos exigente, daquilo que nos traz prazer a qualquer custo, mesmo que não nos leve à verdadeira, duradoura e autêntica felicidade. Embora até constatemos que isso é uma ilusão, uma fantasia sem consistência, mesmo assim, nos sentimos impotentes e desmotivados para reagir e tomar um outro rumo, que realmente nos realize e nos faça verdadeiramente felizes.

Que fazer?

1º) Parar – Não entregar-se à correria inconsequente e alucinante do ativismo diário. Quantos são aqueles que, alegando que foram dormir tarde, se levantam atrasados, sonolentos, na correria, já pensando nos compromissos profissionais que irão enfrentar? Por isso, não se alimentam adequadamente, mal cumprimentam os amigos e familiares e, correndo, nem veem o tempo passar e muito menos curtem as pequenas e grandes oportunidades de apreciar o belo, de partilhar com os amigos e familiares os dons maravilhosos que Deus lhes deu, de conhecer a Fonte da alegria e do sentido de viver. Passam a vida sem a consciência de tê-la vivido. Lamentam o passado, angustiam-se com o futuro e não aproveitam para viver o presente.

2º) Aprender com o plano de Deus – Vivendo cada coisa a seu tempo, por certo, não nos sentiremos estressados e descobriremos a alegria de viver.

3º) Tudo em nossa vida tem sua razão de ser – É necessário encarar os acontecimentos com realismo, equilíbrio, confiança na graça e na própria capacidade, com os olhos fixos na meta proposta, sem desânimo, convictos de que é preciso procurar sempre fazer a vontade de Deus, sem deixar de fazer a nossa parte. Desta forma, o resultado será sempre a vitória e o sucesso.

Cônego Pedro Paulo Scannavino

Paróquia São João Batista

  • Twitter
  • del.icio.us
  • Digg
  • Facebook
  • Technorati
  • Reddit
  • Yahoo Buzz
  • StumbleUpon

Deixe um comentário